domingo, julho 27

SOLIDÃO A DOIS


Solidão a Dois

Géber Accioly
Vera Vilela


..."A individualidade não deve, portanto ser entendida primordialmente como um conceito lógico, mas como a solidão característica do homem que se coloca como finito perante o infinito.
A individualidade define a existência.
(Kierkegaard)".



Estar só
Estar irremediavelmente só sem ter com quem compartilhar um simples comentário sobre um fato corriqueiro como o nascer da Lua ou o morrer do Sol.
Estar tristemente só a ponto de não ter com quem compartir o canto matinal do Rouxinol

Estar só a ponto de chorar ao ouvir uma linda canção.
Estar tão só que não é mais capaz de cantar.

Estar só
Estar tão só de não ter alguém para fazer um chá de limão com alho para combater um simples resfriado
Estar tão só a ponto de começar a achar que a solidão é algo bom

Estar só a ponto de desejar que a gripe se transforme em algo pior e poder dormir e não acordar
Estar tão só que só é capaz de ouvir seu próprio coração.

Estar só
Estar tão só para manter sempre o celular ligado na esperança de uma chamada que nunca se realiza
Estar tão só para começar a entender a solidão de Deus

Estar só a ponto de jogar o celular na parede assim o “não toque” será simples quebra de aparelho
Estar tão só que é capaz de não ver Deus

Estar só
Estar tão só para presentear aniversariantes na esperança de ser presenteado quando aniversariar
Estar tão só para nem ser necessário presentear aniversariantes na certeza que ninguém o presenteará

Estar só a ponto de não lembrar mais que dia é, para não descobrir que ninguém ligou
Estar tão só que é capaz de odiar sua própria data de nascimento

Estar só
Estar infinitamente só sem ser Deus
Estar tão só para nem precisar manter o celular ligado por ter certeza que ninguém manterá contato.

Estar irremediavelmente só sem querer
Estar tão só que Deus passa a ser companheiro de quarto como se carne fosse.


Itamaracá, 4/10/007
Bauru, 22/11/2007

2 comentários:

iara disse...

bonito
mas tão triste.
não acho que foi o que kierkegaard quis dizer..ele falava da individualidade, que algo sempre vai ser infinitamente nosso e solitário por definição.

bjs
tiamo

ana maria disse...

Veroca, mto bonito, mas q me deu uma dor danada, lá isso deu! Bjs